O sentido de plura-lidade que se buscou sugerir no título deste texto por meio da inclusão dos “ss” fi-nais, quando se fala “da(s) poética(s)” de Glissant, está relacionado ao fato de que essa noção, coesa e integrada, participa de um regime de expressões múltiplas, ora figurando como uma Intention poétique (1969), ora como uma Poétique de la Rela-tion(1990) ou ainda como [Introdução a uma] Poética da diversidade(1995)2, em-bora o que esteja em jogo seja sempre a mesma concepção, a mesma ideia, articula-da sob pontos de vista críticos diferentes3. Nesse caso, o traço comum que une esses “momentos” distintos da manifestação do conceito pode ser desde já identificado com o Diverso, termo este que traduz os entrecruzamentos, contatos e intercâmbios entre culturas, tradições e línguas, ou, para usar uma metáfora glissantiana, o pró-prio “caos-mundo”4das trocas e transformações em devir.